V1 - LARANJA2_4x.png

sou escritora e compartilho minha busca por uma vida e uma criação vividas na queda livre da inspiração, conectadas de maneira radical com o Corpo e comprometidas com a criação de novos mundos. 

Ilustração_Sem_Título 2 - cópia.png
  • Instagram
  • YouTube
  • Pinterest
Se colonizam nossos corpos com palavras, seria possível, com palavras, descolonizar nossos corpos? Tomá-los de volta? Recuperar com versos o viço da pele, a festa dos olhos, a paixão por fazer algo? O poema nos ensina a morrer, sim, mas pode ele nos ensinar a viver? A ser corpo? A viver em queda livre?

leia aqui o manifesto 99% inspiração completo ✷

Caixa torácica.png

livros e outros manifestos

meu corpo ainda quente_12 - Copia.jpg

romance, 2020

apoio Rumos Itaú Cultural

finalista Prêmio SP de Literatura

indicação à 58ª edição do prêmio Juca Pato de intelectual brasileiro do ano

DESESTERRO_CAPA.jpg

romance, 2015

Prêmio Toca
Prêmio Sesc de Literatura

Prêmio Jabuti

Prêmio Machado de Assis (BN)
finalista Prêmio SP de Literatura
PEN Translates Award

poema longo, 2012

dulcineia catadora

 

outras ficções⎮ traduções da obra ⎮ prêmios e distinções ⎮na mídia

"Carta ao pai" (conto na antologia Contos brutos, org. Anita Deak, 2019; destacado por Hugo Almeida entre os contos marcantes do século) ⎮ Os nomes que os homens dão para o meu prazer (conto na edição de maio/2019 do Suplemento Pernambuco; leia aqui) ⎮  "Mulher cobra" (conto na antologia livre, org. Beatriz Leal, 2018; leia aqui) ⎮ "Mulher bicho" (Revista Pessoa, 2016; leia aqui - para assinantes)⎮"Dobradinha” (conto no blog Études Lusophones, 2015; na newsletter Para ler escritoras, 2018 & na revista Revestrés, 2018) ⎮ “Dupla penetração” (conto na revista AZMina, 2015; leia aqui)⎮ “No ponto cego” (antologia de vencedores do IV Concurso Jovens Dramaturgos do Sesc, 2014) ⎮ “Salto para” (peça publicada na antologia do Núcleo de Dramaturgia do SESI/British Council, 2014)  ⎮ entre outros

 
99.png

o movimento

escrita selvagem para tempos brutais.

Nós, que não conseguimos abrir mão do coração selvagem. Nós, que não estamos dispostas a sermos apenas passivamente criativas, que queremos viver e materializar nossa criatividade, que precisamos urgentemente criar no mundo (como uma promessa que um dia fizemos para a nossa Alma) e, no caminho, precisamos tentar criar o novo mundo. Uma página de cada vez. Nós precisamos andar em bando.

Criar com a nossa sensibilidade feroz, e não contra ela, tornando-a o centro pulsante de nossas obras, de nossas pesquisas, de nossos cursos, é algo que vai contra tudo o que o neoliberalismo sussurra desde as suas mais profundas estruturas. Nós precisamos criar em bando. Escrever em bando. Precisamos espalhar nossa voz pelo mundo. É daí que nasce o movimento 99% inspiração e seus 5 pilares:

  • ter uma relação erótica com a vida: estar presente. sentir.

  • conhecer a fundo o próprio ciclo criativo e vivê-lo como mágica: criar com o corpo e com a natureza.

  • ouvir o corpo: ele é oráculo.

  • ter uma mitologia que sustente a sua vida criativa, e não uma que a julgue perigosa ou superficial: criar com a imaginação e com os afetos ancestrais que as histórias conjuram.

  • fazer do processo criativo a sua maior obra: viver com prazer a aventura da incorporação e o chamado da criação.

O 99% inspiração acontece: no blog (ver abaixo), no Instagram, nas jornadas abertas, nos cursos e mentorias, nas obras.

 
Caneta.png

jornadas & cursos & mentorias &

jornadas abertas ⎮ cursos ⎮ mentorias & consultoria

próxima jornada aberta: em breve ⎮ inscreva-se no formulário abaixo para receber notícias & conteúdos inéditos

edições anteriores: Oficina de artes mágicas da escrita selvagem e inspirada⎮ O mapa autopoético⎮ jornada Caderno como jardim ⎮ Corpo, oráculo da criação ⎮ As artes mágicas da escrita 99% inspiração